Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
O Canal de Castilla ao passar por Medina de Rioseco, Valladolid

Roteiro Canal de Castilla: um sonho fluvial do século XVIII que se tornou realidade

roteiro-canal-castilla

O que você acha da ideia de navegar pelo coração de Castilla y León, no interior da Espanha, a centenas de quilômetros do mar? A cerca de duas horas e meia de Madri de carro, este roteiro é uma escapada perfeita para fazer em família e para se deixar surpreender por uma das principais obras de engenharia civil do século XVIII na Espanha. O que é o Canal de Castilla? Uma via de navegação artificial de mais de 200 quilômetros, que passa pelas províncias de Palência, Burgos e Valladolid aproveitando a água de diferentes rios. O canal foi feito para poder levar mercadorias desta região do interior da Espanha até os portos do norte do país.Com o sucesso dos trens, este sonho revolucionário do Iluminismo ficou defasado e não chegou a ser concluído. No entanto, deixou de legado o único canal navegável da Espanha e um maravilhoso percurso em plena natureza que pode ser feito a pé, de bicicleta, a cavalo, de barco ou até de caiaque.

Um pouco de história

As obras deste canal começaram em 1753 graças ao impulso do rei Fernando VI, e foram concluídas em 1849. Para que as embarcações pudessem avançar com um desnível total de até 150 metros, foram construídas diversas eclusas, uma invenção de Leonardo Da Vinci que aqui foi aperfeiçoada. Isso permitiu que, entre os anos 1850 e 1860, chegassem a circular mais de 350 barcos.Também foram aproveitados os saltos de água para construir fábricas e moinhos para produzir farinha, papel ou tecidos. Tudo isso deixou um interessante percurso repleto de eclusas, fábricas de farinhas, pontes e aquedutos que fazem com que o caminho se transforme numa verdadeira viagem em busca das pegadas do passado.

Percorrendo o canal pelo exterior: três ramais

Você sabia que antigamente eram usadas mulas que puxavam as barcaças para ajudá-las a avançar? Estes percursos que os animais faziam pelas margens do canal são conhecidos como “Caminos de Sirga” e hoje em dia fazem com que o roteiro seja muito acessível em muitos trechos e possa ser percorrido perfeitamente a pé ou de bicicleta. Você verá também que nos arredores do canal surgem bosques de ribeira e animais como a garça imperial e a lontra.O percurso completo do canal se divide em três ramais unidos entre si.

Etapa 1: Ramal Norte

Distância:75Km

Roteiro: passa principalmente pela província de Palência, de Alar del Rey até Ribas de Campos. No total são 75 quilômetros. É o trecho com mais eclusas (24) e com maior desnível.Interessante: foi o começo da obra, que pode ser conhecido em Ribas de Campos. Aqui você contemplará uma eclusa tripla (em Frómista também se encontra a única eclusa quádrupla do trajeto). Herrera de Pisuerga é ponto de partida de roteiros fluviais de barco.Você precisa conhecer:Frómista, reconhecida popularmente como a capital do românico de Palência e com monumentos imprescindíveis como a igreja de San Martín. Outras igrejas relevantes podem ser as de San Hipólito e San Juan, em Piña de Campos. O percurso revelará numerosos elementos típicos do canal, como eclusas, pontes, represas... Por exemplo, perto de Requena de Campos concentram-se quatro aquedutos, e você pode visitar a charca de Valdemorco (habitat de numerosas aves). Além disso, este trecho é uma passagem habitual do Caminho de Santiago.Cidades do ramal: Alar del Rey, Herrera de Pisuerga, Castrilo de Río Pisuerga, Mergal de Fernamental (Burgos), Osorno la Mayor, Lantadilla, Requena de Campos, Boadilla del Camino, Frómista, Piña de Campos, Amusco, San Cebrián de Campos e Ribas de Campos.

1 Canal da Castilla em Frómista 2 Mosteiro da Cruz Ribas Campos 3 Eclusas do Canal de Castilla

Etapa 2: Ramal de Campos

Distância:78Km

Roteiro: adentra-se na província de Valladolid. Vai de Calahorra de Ribas (Palência) até Medina de Rioseco (Valladolid). São 78 quilômetros e tem apenas sete eclusas (a primeira delas levará quase 50 quilômetros para aparecer).Interessante: na pequena cidade de Villaumbrales fica o Museu do Canal de Castilla, na conhecida como Casa del Rey (do século XVIII). Além disso, juntamente com Medina de Rioseco, é ponto de partida de passeios de barco pelo rio.Você precisa conhecer: a cidade mais popular é Medina de Rioseco, lugar onde fica a maior doca do canal. Tem bonitas igrejas, como a de Santa María e a de Santiago. Além disso, você pode visitar sua fábrica de farinhas, que expõe a turbina e os moinhos com que funcionava, e o Centro de Recepção de Visitantes do Canal, que organiza atividades turísticas todo o ano. Belmonte conserva grande parte de seu castelo renascentista, e próximo dali, em Tamariz de Campos, você verá um interessante aqueduto de cinco arcos. Em Fuentes de Navas fica a Lagoa da Nava, uma importante área alagadiça da região.Cidades do ramal: Ribas de Campos, El Serrón, Villaumbrales, Becerril de Campos, Sahagún el Real, Paredes de Nava, Fuentes de Nava, Abarca de Campos, Villarramiel, Capillas, Castil de Vela, Belmonte e Medina de Rioseco.

O Canal de Castilla em sua passagem por Medina de Rioseco, Valladolid.

Etapa 3: Ramal Sul

Distância:54Km

Roteiro:  é o mais curto (54 quilômetros) e talvez o mais frequentado por ser o mais próximo a cidades. Passa pelas províncias de Palência e Valladolid, iniciando-se em El Serrón (Grijota, Palência), onde o canal se bifurca, e chegando até a cidade de Valladolid. Possui 18 eclusas e um meio natural ideal para a prática de esportes.Interessante: este trecho faz parte da rede ciclística europeia EUROVELO 1, e muitos de seus municípios estão integrados no Roteiro do Vinho Cigales. Como curiosidade, em Villamuriel de Cerrato há um lugar em que convivem as eclusas circulares e retangulares (algo muito pouco habitual). Isso se deve ao fato de que as obras estiveram paralisadas durante anos e, quando foram retomadas, o projeto inicial tinha mudado.Você precisa conhecer:  Valladolid e Palência são as duas cidades principais do trecho, e suas visitas são imprescindíveis. Na primeira, o canal chega até a zona urbana, onde se integra completamente em sua doca. É recomendável visitar algumas vinícolas de lugares como Cigales ou Dueñas. Além disso, esta última foi declarada conjunto histórico e vale a pena dar um passeio Enquanto isso, nos arredores de Cabezón de Pisuerga, não perca o mosteiro de Santa María de Palazuelos e a ponte de Palazuelos, que atravessa o canal.Cidades do ramal: Grijolta, Viñalta, Palência, Villamuriel de Cerrato, Soto de Albúrez, Venta de Baños, Dueñas, Cubillas de Santa Marta, Trigueros del Valle, Aguilajero, Cabezón de Pisuerga, Cigales e Valladolid.

Canal de Castilla e Valladolid

De barco ou trem turístico

Os barcos turísticos realizam viagens regulares de terça-feira a domingo:- Barco turístico “Marqués de la Ensenada”. Sai de Herrera de Pisuerga (no ramal norte) e, uma vez a bordo, você poderá assistir à operação de enchimento e esvaziamento de uma eclusa. Muito recomendável.- Barco “Antonio de Ulloa”. Sai de Medina de Rioseco (ramal de Campos). Você receberá explicações sobre os animais que vivem neste meio natural, e poderá optar entre uma viagem curta de uma hora e outra de mais de duas horas, passando por uma eclusa.Junto a estes dois, há outros barcos como o “San Carlos de Abánades” (sai de Melgar de Fernamental, em Burgos) ou “Juan de Homar” (sai de Frómista, em Palência) que também realizam passeios de uma hora aproximadamente.O trem turístico Canal de Castilla funciona no primeiro domingo de cada mês, de março a dezembro aproximadamente. Trata-se de uma viagem de ida e volta no mesmo dia, que sai de Madri e chega a Valladolid em cerca de uma hora, enquanto um grupo de atores faz uma representação contando a história do canal. Uma vez em Valladolid, a viagem inclui um passeio de barco pelo canal e, conforme as datas, diferentes excursões para Medina de Rioseco, Urueña (a primeira “Vila do Livro” da Espanha), os castelos de Montealegre, a fábrica de farinhas de San Antonio, Tiedra, Fuensaldaña e diferentes mosteiros e vinícolas. Para maiores informações, visite o site oficial.

Conselhos e recomendações

O que comer: aproveite para saborear a cozinha mais tradicional de Castilla y León, na qual as carnes assadas, especialmente de cordeiro e leitão, são protagonistas. As receitas de produtos da horta também são muito recomendáveis e algumas podem ser as “patatas a la importancia”, as minestras ou a sopa de alho. Já que o roteiro passa por rios, não perca a oportunidade de saborear os pratos à base de caranguejos de rio. Além disso, o vinho é muito popular em Castilla y León, com propostas como Ribera del Duero, Rueda e Cigales.

 

Onde dormir: é recomendável consultar com o escritório de turismo de cada cidade em função do trajeto que você prepare conforme o número de dias que você disponha. Você encontrará numerosas casas rurais e uma ampla oferta de hotéis, pousadas e albergues.

Quando fazer o roteiro

As melhores épocas são a primavera, o verão e o outono. Durante esta última estação, as paisagens de bosques de ribeira adquirem tonalidades amareladas e ocres que dão um toque mágico. Além disso, você pode realizar outras atividades como assistir à berra do cervo, contemplar a migração das aves ou colher cogumelos na companhia de guias especializados.