Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Vista durante o entardecer das torres da Catedral de Burgos, Castilla y León

A história da Catedral de Burgos, um tesouro do gótico na Espanha

Burgos

Você sabia que no final do século XI, Burgos já tinha uma catedral? E que foi destruída por não estar “à altura” da importância que a cidade estava adquirindo? Em seu lugar, hoje a Espanha possui a emblemática Santa Igreja Catedral Basílica Metropolitana de Santa María, mais conhecida como a Catedral de Burgos.

Tudo começou no ano de 1080, quando Alfonso VI, que foi o rei do antigo reino de Castilla, promoveu a construção de uma catedral de estilo românico na cidade de Burgos: a Igreja Santa María de Burgos. No ano de 1219, esta igreja acolheu uma cerimônia de grande relevância para o reino de Castilla, o casamento do então rei de Castilla Fernando III e a princesa alemã Beatriz de Suabia (filha do imperador do Sacro Império Romano Germânico Federico II de Suabia Hohenstaufen).  

No século XIII, Burgos já tinha sido reconhecida como sede episcopal e um importante núcleo comercial que, além disso, começava a ganhar fama mais além das fronteiras espanholas, ao ser um lugar de passagem do Caminho de Santiago. Foi então quando o bispo Don Maurício, que celebrou a cerimônia nupcial de Fernando III e Beatriz de Suabia, propôs ao rei construir uma nova catedral que imitasse as tendências estilísticas europeias. E assim, teria uma majestade que a equiparasse à de sua vizinha parisiense: a Catedral de Notre Dame.

O bispo tinha estudado na Universidade de Paris, e por isso conhecia a arte gótica e gostava do estilo da arquitetura francesa da época. Também teve que fazer uma viagem cruzando o país para chegar até o Sacro Império Romano Germânico, onde organizou o matrimônio entre o rei de Castilla e a princesa germana. É por isso que aproveitou sua amizade com o monarca para poder levantar a que hoje é a primeira catedral gótica da Espanha.A catedral começou a ser construída em 1221, e dizem que o primeiro arquiteto foi de origem francesa, já que o gótico clássico ainda não era muito conhecido na Espanha. A construção foi concluída quase quarenta anos depois, e mesmo assim ao longo dos anos seguintes foi remodelada e ampliada até 1765 (sem levar em conta as restaurações posteriores). 

Acima: Detalhe do portal dos Apóstolos na Catedral de Burgos, Castilla y León / Abaixo: Pátio interior da Catedral de Burgos, Castilla y León

É por isso que também acolhe obras de outros estilos artísticos que foram se manifestando durante esse período. Por exemplo, foram inauguradas construções barrocas como a Sacristia Maior, a Capela de Santa Tecla e a Capela das Relíquias. Anteriormente, foram incorporadas criações tão populares quanto a Capela dos Condestables, as agulhas que coroam as torres e o Zimbório (uma torre sobre o cruzeiro da catedral que no século XVI foi substituída pela atual).Em 1885, a catedral foi reconhecida como Monumento Nacional, o que favoreceu sua restauração após seu espólio pelas tropas francesas durante a Guerra da Independência. E, em 1984, foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO.E agora você poderá contar que conhece a história de um dos maiores tesouros do gótico espanhol.

Acima: Detalhe da Sacristia Maior da Catedral de Burgos, Castilla y León © Juan Carlos Marcos / Abaixo: Abóbada da Capela dos Condestables da Catedral de Burgos, Castilla y León
Descubra mais sobre...