Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Catedral de Oviedo, em Astúrias

Oviedo

Asturias

A antiga Ovetum esteve muito vinculada, desde a sua fundação (séc. VIII), à monarquia asturiana, chegando a ostentar a condição de capital do Reino. Este fato deixou um centro histórico com um claro sabor medieval, que a modernidade dotou de um cuidadoso traçado urbano fácil de percorrer.

Um ponto de partida excepcional para visitar amostras de arte pré-românica, lugares Patrimônio da Humanidade, o litoral da Costa Verde, incríveis paisagens naturais para praticar vários tipos de esportes, e, é claro, saborear uma culinária de primeira.

Um centro histórico só para pedestres faz com que passear por Oviedo seja um prazer, desde a Universidade até a Catedral, e do palácio do Marquês de San Félix até o de Camposagrado. Um percurso temperado com estátuas que surgem das calçadas nos lugares que aludem à sua história. Para descansar, muitas praças e grandes e pequenas repletas de chigres (sidrarias).A torre da Catedral de Oviedo marca o início de qualquer passeio pela capital asturiana. Realizada em estilo gótico flamígero, sua torre, rosácea e pórtico de entrada custodiam os maiores símbolos asturianos. A capela de San Miguel, ou Câmara Santa, guarda a Arca Santa, a Cruz dos Anjos e a Cruz da Vitória, relíquias também visitadas pelos peregrinos que se dirigiam à cidade santa de Santiago de Compostela. Estes símbolos aparecem no escudo de Oviedo e no do Principado de Astúrias.Nos arredores da catedral podem ser vistas amostras de algumas das construções mais importantes de Oviedo: a igreja de San Tirso, o Museu de Belas Artes e o Museu Arqueológico. Estes últimos funcionam nos antigos Palácio de Velarde e convento de San Vicente. Devido à impossibilidade de conservar numerosos elementos arquitetônicos e escultóricos de estilo pré-românico (séc. VIII-X) em seus lugares de origem, em construções disseminadas por vales, montanhas e pequenos vilarejos, algumas peças destas igrejas são conservadas no Museu Arqueológico. Assim você poderá percorrer toda a história da arte asturiana desde a Idade de Bronze, contemplando, além disso, coleções pré-históricas, romanas, visigóticas e românicas.O inovador estilo pré-românico asturiano, precursor dos estilos românico e gótico, é um patrimônio exclusivo destas terras. Na própria cidade de Oviedo você terá a oportunidade de admirar algumas de suas construções mais importantes, como Santa María del Naranco, San Miguel de Lillo e San Julián de los Prados, todas elas declaradas Monumento Nacional. Estes templos e palácios, juntamente com Santa Cristina de Lena, a Câmara Santa e a Foncalada (fonte medieval), foram declarados pela UNESCO Patrimônio da Humanidade.A cidade de Oviedo se articula em torno de interessantes praças que ajudam a percorrer a cidade. A praça da Catedral leva à de Alfonso II el Casto, onde ficam os palácios de Valdecarzana e de La Rúa. Em Cimadevilla, a parte mais antiga do centro histórico, se situa a peculiar praça de Trascorrales, onde se aloja o antigo mercado, e de La Constitución. As construções do séc. XVIII da Prefeitura e da igreja de San Isidoro se encontram nesta área. E ao lado fica a praça do Fontán, nome que recebe também o antigo mercado de ferro e vidro. As casas coloridas que se assentam nesta praça também dão para a animada praça de Daoíz y Velarde. Muitos alpendres se abrem nesta zona para escancear uma sidra natural (bebida de baixa graduação alcoólica elaborada com suco de maçã).A Universidade de Oviedo pode ser considerada o último edifício do centro histórico antes de chegar ao Ensanche (ampliação urbanística). Sua fachada plateresca do século XVI dá passagem a um claustro onde são realizadas diversas atividades culturais durante todo o ano. Nas imediações, as fachadas dos palácios de Toreno e Camposagrado merecem uma visita.A partir daqui começa a Oviedo do final do século XIX, ao redor da praça de La Escandalera e do parque Campo de San Francisco. Nela ficam o Palácio Regional, sede da Junta Geral do Principado, a Caixa de Astúrias e o antigo Banco Herrero. Todos eles de aspecto “afrancesado”. Também perto fica o Teatro Campoamor, onde todos os anos é feita a entrega dos prêmios Príncipe de Astúrias. O Centro de Arte Moderna também se encontra aqui.É preciso continuar pela rua Uría para chegar até a parte mais comercial de Oviedo. Seguindo uma de suas travessas, a Gil de Jaz, você chegará ao antigo Hospicio Provicial (séc. XVIII), hoje sede do luxuoso Hotel Reconquista.Em qualquer ponto do passeio pela cidade você pode apreciar a culinária da região. Não podem faltar em sua degustação queijos de Cabrales, Vidiago ou Gamonedo, fabes (feijões brancos) asturianas, pixin (tamboril), frutos do mar ou carne gobernada (ensopada). De sobremesa, o repertório é enorme: arroz com leite, frixuelos (espécie de crepe), torta de amêndoa...Oviedo, situada no centro de Astúrias, facilita a realização de um percurso por toda a província em diferentes roteiros. O Leste asturiano oferece povoados pesqueiros, como Lastres, e localidades estivais de forte sabor histórico, como Ribadesella e Llanes, na denominada Costa Verde. Quase na Cantábria, Colombres conserva a herança do passado indiano. A intrincada orografia do interior oriental proporciona tesouros como o Parque Nacional dos Picos de Europa e Cangas de Onís, um lugar intimamente ligado à história de Astúrias. Não se deve esquecer a emblemática Gijón, cujo Parador de Turismo funciona em um antigo moinho, Villaviciosa, e, no sul da província, o Parque Natural de Redes.A costa ocidental, até terras galegas, proporciona-nos povoados marítimos como Candás e Luanco, bonitas praias como a de Salinas, e cidadezinhas posicionadas entre o mar e a montanha, como Cudillero. Todos eles são bons lugares para experimentar os frutos do mar do cantábrico. Faróis e falésias configuram o perfil da costa em Luarca, Navia e Tapia de Casariego, entre quilômetros de praias. O interior ocidental leva a interessantes centros históricos como os de Grado e Salas, cavernas pré-históricas como a de Peña de Candamo, e paisagens onde a arquitetura popular se funde com a natureza, como na região de Los Oscos. O Parque Natural de Somiedo e a Reserva Biológica de Muniellos dizem muito da riqueza natural e ambiental de Astúrias. E em todos eles você pode praticar esportes de baixo impacto meio ambiental.Roteiros onde você poderá observar hórreos (construções quadradas de madeira sobre pés de pedra lisa e teto de telha, que servem para manter os alimentos secos) ou arquitetura indiana (exóticas mansões construídas pelos asturianos que voltavam enriquecidos das Américas) somam-se a muitas outras opções. Um trecho do Caminho de Santiago, o chamado Caminho do Norte, percorre toda a costa asturiana, de Colombres até Tapia de Casariego. Enquanto isso, Oviedo também se conecta com León e Lugo. Um percurso para se aproximar da cultura asturiana e da sua influência no caminho compostelano, através de igrejas e hospitais de peregrinos.A Rota da Sidra, bebida emblemática desta zona, oferece uma região onde as macieiras inundam a paisagem, e você pode visitar fábricas, lagares (prensas para extrair o suco da maçã) e o Museu da Sidra de Nava. Os interessados pela mineração asturiana poderão percorrer os vales do Nalón e do Caudal para conhecer a estas peculiares paisagens industriais. Em El Entrego fica o Museu da Mineração, onde o visitante pode acessar a recriação de uma mina. Mieres também mostra seu traçado marcado pela mineração. Perto dela ficam o Santuário dos Mártires de Valdecuna e, em Pola de Lena, a igreja pré-românica de Santa Cristina, uma das joias da arte asturiana.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

Agenda

Exposições, festivais, esportes...


Consulta alguns dos eventos mais relevantes que você poderá aproveitar no destino.