Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Lombo de merluza sobre maçã e molho de sidra

Cozinha de Astúrias

Principado das Astúrias

Principado das Astúrias

Astúrias, um paraíso natural e gastronômico


Sem dúvida, Astúrias é um magnífico paraíso natural onde se conciliam o mar, as montanhas e o campo, dando lugar a uma infinidade de ambientes diversos. Protegida de um lado pelo mar Cantábrico e do outro pelos Picos de Europa, foi uma região isolada e protegida de possíveis invasões e, por isso, tem rituais e costumes muito enraizados. O caráter do asturiano é amável e aberto, sempre está disposto a receber de boa vontade aquele que deseje conhecer suas paisagens e saborear uma culinária cujos principais pilares são a sidra, a favada e os queijos, junto aos peixes e frutos do mar.

Se fosse preciso definir a cozinha asturiana em poucas palavras, se poderia dizer que é formada por pratos elaborados sem pressa, a fogo lento, quase sem especiarias ou condimentos que desvirtuem o sabor natural de seus ingredientes. Uma cozinha de fogões que nos transportam a outra época, a um tempo muito afastado do estresse atual. É uma cozinha de colher, onde a favada reina sobre os outros pratos.

Exma. Sra. Fabada

A fabada asturiana é preparada com as fabes de granja (favas, ou feijão branco), acompanhadas de chouriços, morcilhas, lacón, batatas... trata-se de um prato que foi reconhecido internacionalmente, e do qual não há uma receita única porque existem muitas variantes em sua preparação. Podem ser feitas com vôngoles, com lavagante, com lebre, com perdiz... Apesar de ser o mais famoso, não é o único prato de renome na comunidade asturiana, onde também podem ser degustados os conhecidos “potes”. Entre eles, destacam-se o asturiano, com favas, couve, chouriço, lacón e batatas; o pote de castañes mayuques e o ensopado de grelos, típico da cidade de Ibias.

O generoso mar

 A cozinha asturiana se nutre de várias fontes: mar, rios, horta, montanha... Os peixes, tanto de mar como de rio, e os frutos do mar têm um lugar próprio nas diferentes receitas desta comunidade. Do mar saem o tamboril, que em Astúrias recebe o nome de pixín, a pescada, o côngrio, o bonito, o robalo, o tiñosu (peixe-escorpião-vermelho)... e entre os frutos do mar, o percebe, a quisquilla (camarão miúdo), a andarica (caranguejo) e o vôngole fino. Uma autêntica instituição é o oricio (ouriço-do-mar), especialmente no inverno e em Gijón, onde pode ser consumido cru ou preparado de diferentes formas. O salmão, a truta, a truta-marrom e a lampreia, representantes fluviais, complementam a ampla gama de espécies aquáticas que podem ser saboreadas.Em Astúrias é necessário ter sempre em mente as carnes. A carne de bovino adulto é muito apreciada pelos asturianos e também chega a boa parte do mercado espanhol: o entrecot ao queijo cabrales, o guisado de boi... O pitu de caleya (frango de aldeia criado ao ar livre), as preparações de perdiz, javali, corço ou veado são feitas de tal forma que o sabor do monte e de suas ervas aromáticas está sempre presente nos pratos. A “carne gobernada” e o “cachopo” de língua têm sabor e personalidade para serem estrelas gastronômicas.

O legado dos queijos

Outro elemento gastronômico pelo qual a comunidade autônoma de Astúrias pode ser definida são seus queijos. Cada vale ou montanha costuma ter sua própria variedade, o que faz de Astúrias uma das regiões com maior variedade de queijos da Europa. Podem ser de leite de vaca, de cabra, de ovelha, ou até mesmo elaborados com três tipos de leite. Mas sem dúvida, seu produto mais famoso é o Cabrales, azul, com Denominação de Origem, que é acompanhado pelos queijos de Gamonedo, Pría, Porrúa, Los Beyos, Casín ou Afuega'l Pitu, La Peral, Urbiés, etc.Um elemento distintivo do Principado de Astúrias são suas confeitarias, disseminadas ao longo de todo o território. O povo asturiano gosta de doce e, portanto, na região você pode degustar uma infinidade de especialidades, uma melhor que a outra. A sobremesa asturiana por excelência é o arroz de leite, mas também é preciso provar as tortas de amêndoa, o brazo de gitano, os folhados de creme, o bolo carbayón, os carajitos del profesor de Salas... Também existem doces específicos de festividades, como os frixuelos, os casadielles, os panchones do Carnaval, e os huesos de santo e as teresitas nos dias de Finados e de Todos os Santos, e também o tocinillo de cielo.

Sidra

A sidra é a bebida asturiana por excelência. Trata-se de um nexo de relação e muito mais que um componente da dieta asturiana: é quase uma cultura. É preciso bebê-la em sidrerias ou restaurantes e, se possível, nos próprios lagares (lugares onde é fabricada). O escanceado da sidra e o copo largo, do qual só se deve encher o culín (fundo), incitam à amizade e à festa. Uma festa que qualquer um que esteja na região deve experimentar.

Cozinha natalina de Astúrias

Se você quer saborear o Natal asturiano, anote aí: degustar fabes a los pisones (favada com frutos do mar) ou uma carne bovina asturiana. Como acompanhamento, escolha como entrada algum de seus queijos: são cerca de 50 variedades, e o mais internacional é o Cabrales. Para beber, sidra (Astúrias é a terra da sidra na Espanha). E acabe com uma sobremesa como as tradicionais casadiellas.  Como curiosidade, você poderá provar uma versão folhada da tradicional rosca dos reis magos.

O que fazer

Outras receitas que podem lhe interessar