Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Detalhe da comemoração da viagem do Imperador Carlos V em Jarandilla de la Vera, Cáceres (Extremadura)

Coisas que você pode fazer na Extremadura para conhecer sua cultura popular

Extremadura

Algumas datas no calendário marcam o momento ideal para reviver as lendas que os povos guardam em sua memória, e que comemoram sua história. Isso é porque não existe melhor maneira de descobrir o folclore da Extremadura do que participar de suas tradicionais festas populares. Além disso, muitas foram declaradas festas de interesse turístico da Extremadura! Quer conhecer algumas delas?

  • Vista das cerejeiras em flor no Vale do Jerte, em Cáceres (Extremadura)

    Festa da Cerejeira em Flor no Vale do Jerte (Cáceres)

    11 povoados formam a região do Vale do Jerte, onde é tradição celebrar a Festa da Cerejeira em Flor com a chegada da primavera ao vale. Uma área conhecida por sua cereja autóctone que, durante esta época, presta homenagem aos costumes da região, onde mais de um milhão de cerejeiras em floração se tornam uma verdadeira atração turística, até o ponto de ser proclamada Festa de Interesse Turístico Nacional. A etapa que antecede a festividade é conhecida como o despertar do vale, enquanto a última fase é a chuva de pétalas. Durante praticamente um mês, são organizadas atividades muito vinculadas à gastronomia e à cultura popular do Vale do Jerte, como mercados artesanais, roteiros e visitas a lugarejos que foram testemunha da história destes povos.

  • Detalhe da procissão de Corpus Christi de San Vicente de Alcántara, em Badajoz (Extremadura)

    Corpus Christi em San Vicente de Alcántara (Badajoz)

    Durante o segundo ou terceiro domingo de junho, as ruas deste povoado são decoradas com coloridos tapetes pelos quais acabará desfilando a procissão do Corpus Christi, desfazendo-os em sua passagem. Isso é porque os tapetes são feitos a partir de serragem de cortiça pintada, já que San Vicente de Alcántara é uma área de grande produção deste material.Se você chegar algumas horas antes da procissão, poderá ver como os habitantes do povoado dão os retoques finais nos seus tapetes, continuando esta bonita tradição de criar motivos florais e desenhos usando aparas coloridas. Vale a pena madrugar para vê-los antes que desapareçam!

  • Detalhe da infantaria e dos cavaleiros de La Encamisá de Navalvillar de Pela, em Badajoz (Extremadura)

    La Encamisá ou corrida de San Antón, em Navalvillar de Pela (Badajoz)

    Diz a memória popular que, durante o avanço do exército árabe pela península na Idade Média, seus soldados pretenderam conquistar o povoado estremenho de Navalvillar de Pela. Os moradores, que eram conscientes de sua inferioridade numérica, conceberam uma estratégia para intimidar os atacantes: acenderam fogueiras, percorreram as ruas velozmente com seus cavalos e se vestiram com chapéus acabados em ponta, tudo isso enquanto ressoavam os tambores e gritos de guerra.Como consequência, o exército árabe decidiu se retirar acreditando que não podia fazer nada diante da força dos habitantes. O vilarejo dedicou a vitória a seu padroeiro, San Antón. Desde então, na noite de 16 de janeiro é organizada a corrida de San Antón pelas ruas do povoado, com os moradores vestidos com trajes similares aos usados pelos habitantes medievais, passando por fogueiras e seguindo o ritmo dos tambores. Além disso, durante esta celebração, há postos onde são oferecidos bolinhos e vinho de pitarra da região.

  • Detalhe da comemoração da viagem do Imperador Carlos V em Jarandilla de la Vera, Cáceres (Extremadura)

    O Roteiro do Imperador Carlos V em La Vera (Cáceres)

    Embora você possa percorrer o Roteiro do Imperador Carlos V em qualquer época do ano, ele adquire especial importância no primeiro fim de semana de fevereiro. Nessas datas, os caminhantes comemoram a viagem realizada em 1557 pelo Imperador Carlos V, saindo do castelo dos Condes de Oropesa, em Jarandilla de la Vera, até chegar ao mosteiro de Yuste, em Cuacos de Yuste, lugar onde ele decidiu descansar até seu falecimento.O caminho se estende ao longo de 10 quilômetros, durante os quais são oferecidos aos participantes pratos típicos da região, como as migas estremenhas, a páprica de La Vera, chouriço, “huesillos” estremenhos (um doce tradicional da Extremadura)… Além disso, nos povoados por onde passa são programados mercados artesanais, atuações teatrais ambientadas na época medieval e danças populares. Um caminho repleto de natureza, história e folclore!