Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Caverna de Chufín em Riclones, Cantábria

Viagem às origens: as cavernas pré-históricas visitáveis da Cantábria

Cantábria

Conhecer como foram as primeiras expressões artísticas do homem é uma experiência única. Portanto, se você é dessas pessoas curiosas para saber quando e como tudo começou, continue lendo; porque nas cavernas pré-históricas de Cantábria, ao norte da Espanha, você tem algumas das respostas.

  • Detalhe de bisonte da Gruta de Altamira em Santillana del Mar, Cantábria

    Gruta de Altamira

    Declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1985, possui um dos conjuntos pictóricos mais importantes da Pré-História e inclusive recebeu o nome de “Capela Sistina da arte quaternária”. Seu grande conjunto de bisontes ou suas mãos na rocha deram-lhe fama mundial. Para preservar sua conservação, não está permitida sua visita, mas você pode adentrar-se em uma réplica - a Neocaverna do Museu de Altamira - situada a poucos metros da original. Altamira marcou um ponto de inflexão e desde meados dos anos 80 muitas cavernas pré-históricas foram declaradas Patrimônio Mundial. Algumas, como estas que aparecem abaixo, são visitáveis e são consideradas um autêntico tesouro.

  • Lago artificial da Caverna de Chufín em Riclones, Cantábria

    Gruta do Chufín.

    Foi habitada pelos homens há uns 18.000 anos e você a encontrará na bela região do vale do rio Nansa. Ao visitá-la você passará por seu amplo vestíbulo (com numerosas pinturas de cervos ou um bisonte) e a seguir por uma área de teto baixo para chegar a uma ampla sala com as representações artísticas mais chamativas e um lago de grande beleza. Para chegar, é preciso acessar a estrada CA-181 e tomar o desvio para a localidade de Riclones. A partir dali, várias indicações levarão à entrada da caverna.Segundo conta a lenda, Chufín, o personagem que lhe dá nome, escondeu dentro da caverna um valioso tesouro. Ninguém nunca foi capaz de encontrá-lo. No entanto, o que você certamente encontrará são maravilhosas pinturas de cor vermelha; tanto no teto, como nas gravuras exteriores do vestíbulo. 

  • Caverna de Hornos de la Peña em Peña de los Hornos, Cantábria

    Caverna de Hornos de la Peña

    Se você quer conhecer o lar dos últimos neandertais do norte peninsular e os primeiros homos sapiens da Cantábria, esta caverna pré-histórica é seu destino. Recebe seus visitantes com a gravura de um grande cavalo. De fato, é das poucas gravuras que ainda se conservam em uma área exterior.Os especialistas deduziram que a caverna foi povoada há uns 14.000 anos. Para poder ver em primeira pessoa uma pintura que representa uma figura humana com feições animais (que lembra ao xamânico e religioso), você deve chegar à localidade de San Felices de Buelna (CA-170). Dali, à altura de Bairro de Rivero, é preciso tomar a estrada em direção ao Bairro de Tarriba. Uma vez que se chega a este povoado é preciso seguir durante quase dois quilômetros uma pista que leva ao Monte Tejas, onde se situa a Peña de los Hornos. 

  • Vista exterior da caverna de El Castillo em Puente Viesgo, Cantábria

    Caverna de El Castillo

    Uma das primeiras páginas sobre a Pré-História escreveu-se graças a evidências encontradas neste lugar, e é que existem provas que demonstram que esta caverna foi habitada há nada mais e nada menos do que 150.000 anos. Foi também chave para poder sequenciar a Pré-História nas quatro etapas que se conhecem atualmente. No Monte del Castillo, junto ao rio Pas, localizam-se um total de quatro cavernas pré-históricas. A variedade de gravuras de seu interior é muito ampla: pegadas humanas, pinturas de cervos e cavalos, assim como símbolos cujo significado se desconhece. Além disso, a diversidade de estilos, temáticas e técnicas pictóricas é o que faz com que esta caverna seja única em toda a Espanha. O acesso é a partir da N-623 (Puente Viesgo), pegando a estrada CA-730 para as cavernas do Monte Castillo. Após um quilômetro e meio, chega-se ao estacionamento por onde se acessa, andando uns 70 metros, o Centro de Interpretação.

  • Vista panorâmica de uma sala da Caverna de Las Monedas em Puente Viesgo, Cantábria

    Caverna de Las Monedas

    Situada também no Monte del Castillo, contém indícios de sua ocupação na época do Paleolítico. À parte de seus desenhos de alguns dos últimos animais pré-históricos que habitaram a cornija cantábrica, você se surpreenderá com as formações calcárias como estalactites, colunas, escoadas lávicas coloridas ou finas estalagmites. Esta caverna encontra-se a escassos 600 metros da de El Castillo. 

  • Caverna de El Pendo em Escobedo, Cantábria

    Caverna de El Pendo

    Descoberta no ano 1878, trouxeram-se à luz algumas maravilhas artísticas como um bastão de comando, um osso com desenhos de cavalos ou gravuras de aves e cavalos nas paredes. O achado desta caverna foi fundamental para poder estudar a arte paleolítica do sul da Europa. Para conhecer seus tesouros históricos em primeira mão, uma vez que você chegar à localidade de Revilla de Camargo (CA-623), é preciso tomar o desvio pela CA-240 para Puente Arce. À altura de Escobedo de Camargo, é preciso ir em direção ao bairro de El Churi onde se situa a caverna.

  • Vista de uma galeria da Caverna de Covalanas em Ramales de la Victoria, Cantábria

    Caverna de Covalanas

    Na mesma localidade de Ramales de la Victoria, você vai se apaixonar pelas vistas que há da entrada desta caverna. É que sua boca serve como mirante de onde se podem ver os vales dos rios Calera e Gándara. Foi a segunda caverna em ser descoberta na cornija cantábrica depois da de Altamira e você ficará verdadeiramente impressionado vendo suas formações de pedra e suas gravuras de animais formadas por pontos, linhas e uma grande quantidade de símbolos. 

Lembre-se que você pode reservar de maneira on-line a entrada para conhecer estas cavernas. Escolha a que você quer visitar, ou melhor, faça um itinerário por algumas delas. 

Descubra mais sobre...