Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança
Catedral de Santiago de Compostela

Um dia de cultura em Santiago de Compostela

A Coruña

O que ver em Santiago de Compostela em um dia

Milhares de pessoas vão a Santiago de Compostela com um único desejo: conhecer a Catedral, ponto final do Caminho de Santiago. Em um dia cultural descobriremos esta monumental obra de arte, claro, mas faremos muito mais. Entraremos na barulhenta vida de seu centro histórico (declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO); provaremos os pratos típicos mais saborosos; passearemos por plácidos jardins e descobriremos a arte contemporânea em seus museus.

De manhã

Catedral de Santiago Apóstol Um dia em Santiago somente pode começar de uma maneira: na Catedral. Entramos pela porta da praça do Obradoiro, onde desde as primeiras horas do dia, já haverá peregrinos chegados de todos os lugares. O primeiro que encontramos é o Pórtico da Glória. Atrás do parteluz, há anos, as pessoas cumpriam o curioso ritual de bater três vezes com a cabeça (suavemente) sobre a estátua que representa o mestre Mateo. O costume vem dos estudantes universitários, que costumavam fazer para ter inteligência e sorte nas provas. Seguimos o que manda a tradição durante o percurso pela Catedral e passamos pela cripta onde repousam os restos do apóstolo. Também subimos ao Altar Maior para dar um abraço à estátua de Santiago e, além disso, contemplar a Catedral de uma perspectiva diferente à habitual. Ao passar pelo deambulatório vemos a Porta Santa, que somente se abre em Ano Santo (quando o dia 25 de julho coincide com o domingo). Atravessar esta porta produz uma sensação especial, embora em Ano Santo, pela afluência de pessoas, a espera se torna obrigatória. Coberturas da Catedral: Decidimos fazer a visita guiada às Coberturas da Catedral, que nos dá a oportunidade de subir ao telhado e, além disso, divisar o centro histórico das alturas. Para isso, dirigimos nossos passos para o Museu, situado ao lado da Catedral na mesma Praça do Obradoiro. O itinerário nos leva pelo interior do Palácio de Gelmírez, passa pela tribuna da Catedral (por cima do Pórtico da Glória) e sobe aos telhados do templo. A sensação do vento no rosto, o ponto em que estamos, a perspectiva... Não há palavras. Igreja e Mosteiro de San Martín Pinario: Atrás da Catedral, saindo pela Porta da Azabachería, acessamos a praça da Inmaculada onde está a Igreja de San Martín Pinario. Em seu interior vamos ver, entre outras coisas, o antigo Coro de nogueira da Catedral restaurado. Missa do Peregrino: Voltamos à Catedral para assistir à Missa do Peregrino. Celebra-se diariamente às 12:00 horas e durante a cerimônia dão-se as boas-vindas a todos os peregrinos que finalizaram o Caminho de Santiago Tenha em conta O acesso à catedral é livre. No entanto, há determinadas áreas para as que é preciso reservar entrada. Concretamente há três modalidades de reserva: visita ao Pórtico da Glória (também há convites gratuitos que você pode pegar nos fundos da Casa do Deán), visita à Coleção Permanente e visita ao Museu de arte sacra de Santa María Real La de Sar. Para assegurar-nos de que podemos fazer a visita à cobertura da catedral, o melhor é reservar com antecedência pelo telefone (+34 902044077) ou pela web. Atualmente as coberturas estão fechadas por obras. Se você quer ver em ação o Botafumeiro - um grande incensário - dentro da Catedral, tenha em conta que somente funciona em determinados dias do ano com celebrações litúrgicas. Caso se queira solicitar seu funcionamento, é preciso dirigir-se ao Escritório de Acolhida de Peregrinos. Devido a obras de restauração no interior da Catedral, atualmente o Botafumeiro não funciona.

Pórtico da Glória e Escada do Museu do Povo Galego
Visitas imprescindíveis

O que ver


Ao meio-dia

Os arredores da Catedral: Depois da missa, um passeio tranquilo pelas praças que rodeiam a Catedral (Quintana, Platerías, Obradoiro), para reparar nos detalhes de cada fachada e imortalizá-los com a câmera de fotos.Compras e almoço pelo centro histórico: Caminhamos para as ruas do Franco, Raíña e do Villar do centro histórico. Aqui encontramos os escritórios de turismo e do peregrino, além de diversos comércios e lojas de artesanato, lembranças, roupa, alimentação... também pequenas feiras de livros e objetos antigos. São muito típicos a prata e o azeviche, da mesma forma que tudo o relacionado com o Caminho de Santiago e o Apóstolo (botafumeiros, vieiras, bastões...). Também a cerâmica, o couro, as clássicas gaitas galegas ou as bonecas de “meigas” (o nome com que se conhece as bruxas na Galiza).Paralelas a estas ruas, decorrem outras duas vias comerciais: a rua Nova e a rua Calderería, que são frequentadas pelos habitantes de Santiago para suas compras habituais.Na rua do Franco, fazemos uma breve parada para entrar e ver o claustro renascentista do Colégio Fonseca, sede da biblioteca da Universidade de Santiago. Por esta região também há numerosos bares e restaurantes. No momento que desejemos, paramos para almoçar. Provamos as porções e pratos típicos. Algumas boas sugestões são pulpo a feira, lacón con grelos ou cachelos, empanada, zorza (lombo de porco picadinho), calamares, pimientos de Padrón (somente em temporada e cuidado! que alguns ardem), mejillones al vapor, caldeirada (caldereta), caldo gallego (pote), peixe ou frutos do mar. Tudo acompanhado de vinho galego (por exemplo, ribeiro ou albariño). De sobremesa, pedimos dois clássicos: tarta de Santiago e licor deorujo (o tradicional é o branco, mas também há de outros sabores como ervas, creme, café...).Outra boa opção na hora do almoço é ir ao Mercado Municipal, que abre de segunda-feira a sábado, das 7h às 15h. Além de ver sua arquitetura e percorrer seus postos de peixes, carnes e verduras, você pode desfrutar de seus postos de comida take-away, degustar pratos que se cozinham no local ou provar sua famosa “cozinha em miniatura”.

Praça do Obradoiro da torre da Catedral de Santiago

À tarde

Deslocamento: A pé

Parque da Alameda: Depois de almoçar, seguimos as ruas Franco ou Villar em direção ao Parque da Alameda. Demoraremos apenas 10 minutos. Tranquilamente vamos descobrindo seus passeios senhoriais, arvoredos, fontes, esculturas e construções (capela de Santa Susana, coreto, pombal...). Como estamos situados a certa altura, também nos encontramos com uma fantástica panorâmica da cidade. Através de uma escadaria, o parque comunica-se com os jardins do campus universitário, portanto, também vamos conhecê-los.De caminho pela cidade: Voltamos de novo para o centro, mas mudando de ruas para passar por diante da Faculdade de Geografia e História e da Igreja de San Fiz de Solivio e do edifício do Mercado Municipal. Continuamos em direção ao Parque de Bonaval, para visitar dois museus da cidade. Ao longo do caminho nos encontramos com o Convento de San Agustín, a Igreja de Santa María del Camino e a Porta do Camino.Museu do Povo Galego e Centro Galego de Arte Contemporânea: Entramos no conjunto formado pela Igreja e pelo Convento de Santo Domingo de Bonaval, que também é a sede do Museu do Povo Galego. O que mais nos surpreende é a triple escada de caracol que leva aos diferentes andares do edifício. Sem dúvida, merece uma foto. Em seguida mudamos de estilo e vamos ao Centro Galego de Arte Contemporânea que está ao lado. É moderno por dentro e por fora, já que foi desenhado pelo prestigiado arquiteto Álvaro Siza.Sugestão: Apesar de que está um pouco afastado do centro da cidade, outra boa opção para passar a tarde é visitar o complexo cultural Cidade da Cultura da Galiza. Ali você encontrará no topo do monte Gaiás e se surpreenderá com a arquitetura vanguardista de seus edifícios idealizada pelo arquiteto americano Peter Eisenman. Você poderá percorrer livremente os exteriores desde as Torres Hedjuk até a praça central. Além disso, existem programas de visitas guiadas.

Terraços em Santiago de Compostela
Visitas imprescindíveis

O que ver


À noite

Deslocamento: A pé

Deixamos os museus e voltamos para a Catedral. A ideia é vê-la com a iluminação noturna. Não demoraremos mais de 20 minutos. Passamos pela Porta do Camino, a praça de Cervantes, a rua da Azabachería e logo estamos em San Martín Pinario. Ficamos um momento na praça do Obradoiro para contemplar os monumentais edifícios que a rodeiam, iluminados: a Catedral, o Parador dos Reyes Católicos, o Palácio de Rajoy e o Colégio de San Jerónimo.Depois deste dia, merecemos um bom jantar, assim que procuramos um restaurante para degustar um delicioso prato de frutos do mar, peixe ou arroz. Após o jantar, por que não escutar um pouco de música tomando uma bebida? Na área do centro histórico há vários bares e pubs com ambiente e decoração agradáveis.

Catedral de Santiago de Compostela de noite
O que fazer

Planos para inspirar-se