Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Castelo de Caudilla, em Toledo

A Espanha menos conhecida: circuitos pelas paisagens de Castilla – La Mancha

Castela-La Mancha

Proposta: adentrar-se em uma das regiões espanholas mais desconhecidas para descobrir alguns de seus povoados mais bonitos. São pequenos vilarejos de caráter rural, lugares pouco frequentados pelos circuitos turísticos internacionais, mas que concentram a tradição e a cultura próprias de Castilla – La Mancha, cenário das histórias de Dom Quixote. Veja aqui algumas dicas para percorrer, através de seus povoados, cada uma das cinco províncias da região: Albacete, Ciudad Real, Cuenca, Guadalajara e Toledo.

Albacete e seus povoados ao redor do rio

Esta é uma das paisagens rurais mais características da região, formada por grandes desfiladeiros. Como exemplo, dois bonitos povoados que ficam próximos ao rio Júcar, no norte de Albacete: Alcalá del Júcar e Jorquera. Muita gente fica surpresa ao ver que puderam ser construídos em um lugar com estas características. Estão situados a uns 55 quilômetros da cidade de Albacete (com conexão de trem de alta velocidade com Madri e Valência).A ponte romana de Alcalá del Júcar dá acesso a um centro histórico que parece estar se agarrando na falésia (de fato, existem casas-caverna na própria rocha). Enquanto isso, Jorquera se estende como se fizesse parte do meandro do rio, e sua atalaia quase se confunde com a pedra. Sua vista aérea ou do outro lado do rio é realmente surpreendente.Este tipo de paisagem também pode ser encontrado ao sul de Albacete, nos desfiladeiros do rio Mundo, em Liétor (a uns 60 quilômetros de Albacete). Visto de longe, o povoado parece uma crista que coroa a montanha.

Alcalá del Júcar (Castilla-La Mancha)

Ciudad Real, a planície de La Mancha

Proposta: atravessar outra paisagem característica da região: as longas planícies que se confundem no horizonte. Você pode fazer isso combinando dois dos pontos fortes de Ciudad Real (a literatura e o vinho) e as visitas a alguns de seus povoados menos conhecidos.Um bom itinerário poderia ser:- Campo de Criptana: seus moinhos de vento são a imagem universal do romance de “Dom Quixote”.- Tomelloso: possui algumas das vinícolas mais prestigiadas da região.- Argamasilla de Alba: “Em um lugar de La Mancha, cujo nome não quero recordar...” é o começo da história de Dom Quixote e, segundo os estudiosos, refere-se a este povoado. Você poderá visitar a Casa-Caverna Medrano, onde Cervantes esteve preso e começou a escrever seu famoso romance.

Castelo de Peñarrova, em Argamasilla (Castilla - La Mancha)

- Villanueva de los Infantes: uma vila monumental que revela seus tesouros em torno de sua Plaza Mayor, do começo do século XVII.- San Carlos del Valle: destino de peregrinação graças à igreja de El Santísimo Cristo del Valle. Chama a atenção sua Plaza Mayor.- Valdepeñas: para muitos, a capital do vinho de Castilla – La Mancha.- Almagro: possui o único curral de comédias do século XVII que conserva sua estrutura original e permanece ativo.Este percurso tem pouco mais de 200 quilômetros. É recomendável ter pelo menos um fim de semana para aproveitá-lo com a calma necessária.

Ciclista no meio de moinhos de Castilla - La Mancha

Cuenca, terra de castelos

São muitas as fortalezas que você vai ver, e algumas delas estão em perfeito estado de conservação. Partindo da cidade de Cuenca (conectada com trem de alta velocidade com Madri em apenas uma hora) você pode fazer diferentes percursos de um dia para conhecer algumas.Para o oeste, o roteiro passaria por lugares como Huete, Uclés, Belmonte e Alarcón. No primeiro é aconselhável visitar o castelo de Luna e a igreja de Nuestra Señora de Atienza. Uclés conserva a marca da passagem de diferentes culturas, e em sua silhueta se destacam suas duas principais atrações: um importante mosteiro cristão e uma fortaleza de origem árabe. Enquanto isso, em Belmonte fica um dos castelos mais bem conservados da região. A menos de uma hora para o leste, você pode conhecer o castelo da vila de Alarcón. No total, o roteiro tem pouco mais de 200 quilômetros. 

Vista de Atienza (Castilla-La Mancha)

Outra opção pode ser ir rumo ao leste para visitar lugares como Cañete e Moya. O primeiro conserva sua estrutura defensiva árabe com os restos de seu castelo em posição elevada sobre um bonito povoado de casas brancas e telhados avermelhados. Em Moya, por sua vez, você terá a oportunidade de percorrer as ruínas da que já foi uma relevante vila medieval e na qual ainda dá para reconhecer o alcázar, as muralhas, igrejas e conventos. Se você decidir fazer um roteiro circular para voltar a Cuenca, boas opções de parada podem ser Huélamo e Fuentes, bonitos povoados da Serrania de Cuenca. Em conjunto, o roteiro não chega a 250 quilômetros por estrada.

Guadalajara e sua arquitetura preta

Pequenos vilarejos de casas de pedra e telhados escuros, onde parece que o tempo não passa. São os denominados povoados da arquitetura preta de Guadalajara, outra paisagem muito típica de Castilla – La Mancha e uma fantástica opção de turismo rural.Anote estes nomes: La Vereda, Matallana, Majaelrayo, Campillejo, El Espinar, Campillo de las Ranas, Robleluengo, Valverde de los Arroyos... São pequenos lugarejos muito próximos entre si, que você pode conhecer em um circuito de apenas duas horas de carro. Esta região fica a aproximadamente uma hora da cidade de Guadalajara (conectada com Madri por trem ou por estrada, em um trajeto inferior a uma hora)Outro roteiro interessante por povoados da província de Guadalajara é o que une lugares como Atienza, Sigüenza, Brihuega e Pastrana. São vilas monumentais de maior tamanho, mas imprescindíveis para conhecer alguns dos castelos, palacetes e centros históricos mais interessantes da região. O percurso tem cerca de 225 quilômetros.

Arquitetura preta em Valverde de los Arroyos, Guadalajara (Castilla - La Mancha)

Toledo, entre praças centrais e moinhos de vento

Proposta: duas opções para conhecer alguns dos povoados mais bonitos da província.A cidade de Toledo é uma parada obrigatória em qualquer visita a esta região. Por isso, será seu ponto de partida para pequenas escapadas a vilas próximas. Guadamur fica a menos de 30 quilômetros e possui um bonito castelo do século XV. Puebla de Montalbán fica a cerca de 35 quilômetros, e muitos de seus edifícios de maior interesse estão situados em sua Plaza Mayor com sacadas. Maqueda, onde fica o castelo da Vela, está localizada a uns 40 quilômetros. A uma distância parecida fica a vila monumental de Orgaz, onde a Plaza Mayor e o castelo dos condes refletem a importância que alcançou no século XVIII. Apesar de tudo, se existe uma Plaza Mayor cuja imagem é icônica, esta é a de Ocaña (a uns 50 quilômetros de Toledo), surpreendente por seu grande tamanho.

Castelo de Guadamur (Castilla-La Mancha)

Por outro lado, a história de Dom Quixote de La Mancha anima a completar o famoso roteiro dos moinhos de vento de Toledo. Para ver estes moinhos, um bom lugar é o Cerro Calderico, em Consuegra (a uns 60 quilômetros da cidade de Toledo). Outro povoado do roteiro que você não pode perder é Tembleque. Muitos dizem que é um dos melhores exemplos de povoado manchego, com suas fachadas brancas e um traçado que cresce em torno de sua pitoresca Plaza Mayor.