Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança
Pulpo a feira (polvo à moda galega)

Cozinha da Galícia

Galiza

Galiza

Galícia: do mar e da terra

A culinária é um dos principais recursos turísticos da Galícia. A elevada qualidade e variedade dos produtos autóctones é a base da diversidade de iguarias que são elaboradas e dos artigos que são servidos. Os produtos, tanto do campo como da pecuária, e principalmente do mar, têm suas próprias peculiaridades, entre as quais prevalece a qualidade. Além disso, não se esqueça que um dos pilares do prestígio da cozinha galega é o grande profissionalismo dos mestres dos fogões, que realizam seu trabalho não só na Galícia, mas em qualquer lugar do mundo.

A importância que a culinária tem para os galegos fica evidente nas mais de 300 festas gastronômicas que se desenvolvem ao longo do ano no território desta comunidade autônoma. Estas exaltações dos produtos da terra, que tanto interesse despertam entre os visitantes, têm sua origem em celebrações locais ou regionais para comemorar tradições do lugar e em reuniões de amigos. Também são celebradas coincidindo com as colheitas ou festas religiosas, como as romarias, em que o cumprimento da promessa ao santo é completado com uma comida tradicional. Algumas festas gastronômicas congregam multidões e foram reconhecidas como festas de interesse turístico nacional.

Do mar

Tradicionalmente, a Galícia, com 1.200 quilômetros de litoral e uma infinidade de portos pesqueiros, foi uma região voltada para o mar, e a pesca, uma das principais atividades de seus habitantes. Assim, Vigo é hoje o principal porto pesqueiro da Europa, e as rias galegas são as maiores produtoras de mexilhões do mundo.As excepcionais condições de sua costa, que alterna as falésias mais altas da Europa com as águas plácidas das rias, junto com a riqueza em nutrientes que o oceano Atlântico possui nestas latitudes, constituíram um ecossistema único, que alimenta os mercados gastronômicos mais exigentes. Percebes das costas açoitadas pelas fortes ondas atlânticas, lagostins, vieiras, santolas, caranguejos, camarões, sapateiras e lavagantes das rias, junto com as ostras, mexilhões, berbigões, vôngoles, polvos, sépias, pregados, besugos, sardinhas, sargos, robalos e muitos outros tipos de peixes que vivem nas costas galegas.A experiência secular dos marinheiros da Galícia permite também que os mercados do peixe desta comunidade autônoma galega sejam os que contam com a maior variedade de espécies de peixes de alto mar, como o atum, a merluza, o bacalhau, o badejo e o saboroso chicharro.Receitas simples para produtos de qualidade superior. Assim é a cozinha tradicional galega, onde o que realmente importa é a matéria-prima.

Da terra

E se a costa é rica em produtos gastronômicos, o interior da Galícia não fica devendo. Pimentões com denominação de origem, como os de Padrón, batatas de Bergantiños, couves em toda a comunidade autônoma; Pão de Carballo e Cea, e milho. Frutos como as castanhas, nozes, avelãs e amêndoas; sem esquecer a riqueza silvestre dos cogumelos, dos mirtilos e do mel do bosque. Da horta galega saem pratos como o caldo galego, à base de verduras, nabo forrageiro, acelga, vagem, repolho ou couve, batata e feijão.Na Galícia, a carne de bovino é a estrela. Os animais são abatidos muito jovens, quando recebem o nome de ternera, e seu nível de máxima qualidade é alcançado com a marca Ternera Gallega. Desta carne surgem centenas de receitas, como o requintado solomillo (filé mignon), a popular carne ó caldeiro, e uma parte do cozido galego. Se você prefere as carnes de bovino adulto, não deixe de provar o boi galego, que ultrapassou fronteiras e se incorporou à culinária de outras comunidades espanholas, como a basca.Dentro das carnes, o cabrito, cria da cabra sem desmamar, é preparado assado e faz parte das melhores mesas e das celebrações. Além disso, entre as aves se destacam os galos de curral, e certamente os frangos capões, que são frangos caseiros criados com esmero e uma rigorosa alimentação para servir boas mesas, principalmente no Natal.Quanto aos queijos, a maioria elaborados com leite de vaca, a Galícia mantém protegidas suas denominações, entre as quais podem ser destacados o Tetilla, o Ulloa, o San Simón e o queijo de O Cebreiro.O lacón de porco cozido é utilizado para elaborar o típico lacón con grelos. Nas províncias do interior são muito apreciados os embutidos, entre os quais se destaca por sua originalidade a androlla ou botelo, um embutido defumado que é cozido antes de ser servido. Chouriços e salames têm excelentes qualidades. Além disso, outras partes do porco são utilizadas para os cozidos galegos (toucinho, focinho, carne ao redor das vértebras, pés...). Da terra também procedem os vinhos galegos, recolhidos em cinco Denominações de Origem diferentes (link com as D.O. de Vinhos)Quanto aos destilados, é muito conhecido o orujo, uma aguardente galega usada na elaboração da tradicional queimada (aguardente queimada com açúcar). Licor de café, licor de cereja e licor de ervas.

Da terra e também do mar

Empanada: Para combinar a terra e o mar, os galegos contam com um dos pratos mais versáteis que pode existir: a empanada. Existem empanadas de costela de porco, lombo de porco, lombo bovino, sardinhas, polvo, bacalhau com passas, bonito... e de quase tudo que você possa imaginar.

Cozinha natalina da Galícia

Um imprescindível: frutos do mar, seja na forma de uma mariscada ou com receitas como o pulpo a feira, as vieiras recheadas ou as almejas (vôngoles) a la marinera. De prato principal, a proposta é um clássico do mar (o bacalhau com couve-flor) e um muito galego à base de carne (o lacón com grelos). Seus doces mais tradicionais, como a torta de Santiago e as filloas, também são habituais no Natal, junto aos marzipãs e às tortas da temporada, como a de castanha e a de maçã.

O que fazer

Outras receitas que podem lhe interessar