Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança
Vista do Mosteiro de Yuso, em San Millán de la Cogolla (La Rioja)

San Millán de la Cogolla

La Rioja

Em pleno vale do rio Cárdenas fica San Millán de la Cogolla, cidade de La Rioja fundada pelo santo homônimo e vinculada durante séculos ao Caminho de Santiago.

A profunda tradição monástica do município é apreciável no seu belíssimo conjunto arquitetônico, onde se destacam os Mosteiros de Suso e Yuso, ambos declarados Patrimônio da Humanidade. A importância de San Millán de la Cogolla também se deve à sua condição de berço do idioma espanhol, já que nesta localidade são conservados os primeiros documentos escritos nesta língua.

A origem de San Millán de la Cogolla tem uma estreita relação com a longa tradição monástica do lugar. Foi aqui onde, no século VI, San Millán procurou refúgio espiritual em um eremitério escavado na pedra.A importância cultural e religiosa que esta comunidade monacal alcançou durante a Idade Média foi tanta que atraiu muitos peregrinos, que se desviavam do Caminho de Santiago para conhecer este lugar, como continuam fazendo até hoje.O passar dos séculos deixou neste típico vilarejo de La Rioja o bonito conjunto arquitetônico formado pelos Mosteiros de Suso e Yuso. Os dois foram declarados Patrimônio da Humanidade e têm uma grande relevância histórica, já que neles são conservados os primeiros textos escritos em espanhol.O Mosteiro de Suso foi construído inicialmente no século VI e ampliado em sucessivas ocasiões até o século XI. Este fato pode ser apreciado na superposição de estilos artísticos presentes em sua fábrica, que vai do núcleo visigótico primitivo até o moçárabe e a posterior obra românica.No interior cenobial, além de um bonito claustro, ficam as tumbas talhadas em pedra dos Sete Infantes de Lara junto ao seu mestre, assim como as de três rainhas de Navarra.A igreja, construída em estilo moçárabe no final do século X, conserva alguns restos do mosteiro primitivo. Entre eles sobressai uma escultura do santo em um dos nichos visigóticos, assim como uma necrópole com dezenas de sarcófagos pétreos pertencentes à comunidade de ermitões.As últimas obras de ampliação da igreja correspondem ao século XI, quando foram incorporados elementos românicos. Dentro deste estilo se enquadra a escultura jacente de San Millán (séc. XII), uma peça de alabastro que representa a figura do místico junto a vários discípulos e peregrinos.Situado no fundo do vale, o Mosteiro de Yuso data do século XI, com posteriores remodelações nos séculos XVI e XVIII.Uma escultura equestre de San Millán preside o portal do edifício, realizado em estilo barroco. A igreja, construída entre 1504 e 1540, tem no seu interior um retábulo medieval (séc. XII), assim como um púlpito plateresco e um coro de estilo greco-romano.Uma das joias de Yuso é a sacristia, de estilo rococó, que conta com afrescos e pisos de alabastro. Este belo salão no estilo do século XVIII exibe uma interessante coleção artística, na qual se destacam várias pinturas de Juan Rizzi, a arqueta das relíquias de San Millán (séc. XI), decorada com placas de marfim, ouro e pedras preciosas, e a arqueta de San Felices (séc. XI), com baixos-relevos românicos talhados em marfim.Outras dependências monacais são o Salão dos Reis, o claustro e a biblioteca, cujo acervo contém cerca de 300 documentos medievais. Também é possível admirar nela sua coleção de códex, com destaque para as Glosas Emilianenses, um manuscrito do século XI onde aparecem os primeiros documentos escritos nos idiomas espanhol e basco.A importância de San Millán de la Cogolla como berço do idioma espanhol foi reforçada no século XIII, já que lá viveu e foi educado Gonzalo de Berceo, escritor e poeta medieval cujas composições elevariam este idioma à categoria de língua literária.Nas ruas de San Millán de la Cogolla, o visitante poderá descobrir casas de arquitetura típica riojana, assim como outros edifícios destacados como a ermida de Santa Potamia, do século XVIII, e a Igreja de Nuestra Señora del Carmen (séc. XVIII), situada na aldeia de Lugar del Río.Culinária e arredoresA culinária regional dá m grande destaque para os produtos da horta. A minestra de verduras, as batatas à moda riojana, as chuletas de cordeiro ao sarmento e os pimentões recheados são algumas das especialidades locais. Por sua vez, os vinhos de Rioja, protegidos com denominação de origem, gozam de reconhecido prestígio internacional.San Millán de la Cogolla fica a poucos quilômetros do Caminho de Santiago riojano. Deixando para trás Logronho, o Caminho Francês passa por Navarrete e Nájera, povoado onde pode ser admirado o Mosteiro de Santa María la Real.Santo Domingo de la Calzada é a última grande etapa do Caminho em La Rioja. Nesta bonita cidade se destacam as muralhas, a antiga via e a Catedral de San Salvador. Em torno do roteiro compostelano riojano surgiram diversas construções religiosas que dão nome à Rota dos Mosteiros que, após passar por San Millán de la Cogolla, percorre as localidades de Santo Domingo de la Calzada, Ezcaray, Bañares e Cañas.Suso e Yuso são incluídos na Rota da Língua Castelhana, que passa por localidades que tiveram um papel decisivo na história e evolução das letras espanholas: Santo Domingo de Silos, Valladolid, Salamanca, Ávila e Alcalá de Henares.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

O que fazer

Planos para inspirar-se