Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
 Museu de Sorolla em Madri

Uma viagem pela Espanha de Sorolla

none

A luz feita obra de arte


“O pintor da luz”. É assim que é conhecido Joaquín Sorolla, uma das figuras chave da história da arte espanhola e um dos pintores mais renomados internacionalmente de sua época. Este artista soube captar como poucos a luz e o movimento em suas criações. É possível encontrar paisagens rurais, costumbrismo marinheiro tradicional da região do Mediterrâneo, cenas sociais, retratos... Todas têm alguma coisa em comum: o calor e a sensibilidade que terão impacto nos sentidos.Quais são as paisagens que inspiraram este gênio? Onde podem ser encontradas suas obras fundamentais? Venha conosco nesta viagem pictórica por praias de águas cristalinas, jardins e cores.

  • Esquerda: Quadro ‘Passeio à beira-mar’ de Sorolla/Centro: Sala Sorolla do museu Belas Artes de Valência © Museu Belas Artes de Valência/Direita: Selo com autorretrato de Sorolla © Neftali, Circa 1964

    Valência, o berço do artista

    A melhor maneira de entender Sorolla é viajando por Valência. Este criador único nasceu em 1863, dentro de uma família humilde, e foi na Escola de Belas Artes onde recebeu sua formação. De fato, em um itinerário pela cidade é possível fazer paradas em sua casa natal, na igreja de Santa Catalina (local onde foi batizado), em seu primeiro lar (rua Barcelona, 6), na igreja de San Martín (onde aconteceu seu casamento) ou na praça do Mercado, que se transformou no cenário de seu quadro “O grito do Palleter”.Somente ao passear pelas praias da região (e por outras localidades da Comunidade Valenciana, como Jávea) é possível entender os reflexos e o jogo de brancos e azuis que o pintor conseguiu em cenas de mulheres na praia, crianças brincando, pescadores... No norte do porto esportivo, estende-se uma praia de 2.300 metros, que recebe vários nomes conforme o for avançando: Arenas, Cabanyal e Malvarrosa. São bem conhecidas as cenas que Sorolla realizou com este litoral como pano de fundo, como “Passeio à beira-mar”, “a volta da pesca” ou “Sol de tarde”.Gostaria de visitar museus onde encontrará as obras do artista? Você pode ir ao de Belas Artes de Valência ou à Casa Museu José Benlliure. O Instituto Valenciano de Arte Moderna (IVAM) e a Fundación Bancaja também receberam importantes exposições dedicadas a ele. Muito perto, no Museu de Belas Artes de Castellón, também encontrará suas criações. Se falarmos de monumentos, visite a Capela, antigo colégio San Pablo (instituto Lluis Vives), que o valenciano imortalizou em “O pátio do instituto”, ou o cemitério de Valência, onde encontrará o túmulo de Sorolla e o de outras personalidades, como o escritor Blasco Ibáñez.

  • Imagens do museu Sorolla em Madri

    Madri, a casa familiar

    Se a aconchegante luz do Mediterrâneo foi um dos fatores que mais marcou a obra de Sorolla, outro foi sua visita ao Museu Nacional do Prado (uma das mais importantes pinacotecas do mundo, em Madri) com apenas 18 anos. Lá descobriu as telas de Velázquez, que definiriam sua forma de entender a arte. Na atualidade, Sorolla ocupa neste museu uma posição de honra ao lado de quem fora seu mestre, pois o Prado possui vários quadros do valenciano como “Meninos na praia”. Em Madri há um canto especial no qual poderá descobrir a verdadeira essência do artista: o Museu Sorolla. Não perca fazer uma visita a esta antiga residência da família do valenciano, reconvertida em museu por desejo da própria viúva. Ao ingressar, sentirá como o barulho da cidade fica de fora, imaginará a escada pela qual os modelos que pousavam para o artista subiam, escutará o murmúrio das fontes no jardim... E, especialmente, terá na sua frente algumas das obras mais conhecidas de Sorolla: “Jardim da Casa de Sorolla”, “Clotilde sentada no sofá”, “Autorretrato”, “Depois do banho, o robe rosa”, “Passeio à beira-mar”, “Hora do banho, Valência”, “Meus filhos”, Quinta Avenida, Nova York, “A sesta”, “Mãe”…Também pode visitar a Real Academia de Belas Artes de San Fernando (que conta com obras) ou a localidade madrilenha de Cercedilla, onde morreu Sorolla em 1923.

  • Em toda a Espanha

    Além destes dois grandes emblemas da arte de Sorolla, são muitas as cidades espanholas em que poderá encontrar exemplos de seus trabalhos. Na Andaluzia, o pintor começou seus estudos sobre jardins. Nesta zona do sul da Espanha, visite o Museu de Málaga, o Museu Carmen Thyssen Málaga ou o Museu de Belas Artes de Córdoba para encontrar obras suas. Não se esqueça de Sevilha (que refletiu em pinturas como “O Alcázar de Sevilha,”) nem de Granada, cidade que lhe causou uma profunda impressão graças à Serra Nevada ou à Alhambra.No norte da Espanha, visite o Museu de Belas Artes de A Coruña ou o de Belas Artes de Vitoria-Gasteiz. De fato, Sorolla demonstrou muito interesse pelo bravo mar Cantábrico. Prova disso são “O quebra-Mar em San Sebastián” ou “Sob o toldo, Praia de Zarauz”.Em que centros encontrará mais quadros de Sorolla? O Museu de Belas Artes de Múrcia, o Museu de El Greco de Toledo ou o Museu Municipal de Belas Artes de Tenerife são apenas alguns exemplos.É fato indiscutível que Sorolla foi um grande conhecedor da Espanha. Em 1911, ele se comprometeu com The Hispanic Society, de Nova Iorque, para a realização de um projeto mural sobre as províncias da Espanha, atualmente conhecido como “Visão da Espanha”. Como resultado, o pintor viajou durante quase oito anos pelo país para refletir as roupas e os costumes de cada região. 

Mas não importa quanto você leia sobre este grande mestre do século XIX, a única forma de se emocionar com suas pinturas é vir vê-los. Conheça a Espanha. Conheça a obra de Sorolla e se deixe levar pelas cores do Mediterrâneo. Deixe-se envolver pela luz. Porque quase um século após a sua morte, ele se transformou em um clássico. Porque como Huntington (o hispanista norte-americano que encomendou os painéis para a Hispanic Society) asseverou sobre ele, “levou sua teoria da pintura ao limite e só por isso perdurará”.

Descubra mais sobre...