Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Vista geral de Málaga

Málaga em dois dias

Málaga

Descubra o que não deve faltar em sua visita a Málaga


Málaga está vivendo uma revolução cultural nos últimos anos. O lugar de nascimento de Pablo Picasso abriu interessantes museus recentemente, e em suas ruas surgem bairros transgressores, como o Barrio de Las Artes. Somando a isso a opção de dar um mergulho em alguma de suas praias, conhecer monumentos com séculos de antiguidade e provar seus pratos típicos em uma mesa ao sol, o resultado são dois dias muito completos. Provavelmente pareça ser pouco tempo para conhecer bem a capital da Costa do Sol, mas assim você tem a desculpa perfeita para voltar.

Primeiro dia

O centro antigo da cidade, com paradas em seus principais museus e monumentos, será o eixo do seu primeiro dia em Málaga.

Deslocamento: A pé / Duração: 1 dia

Catedral de Málaga no fim de tarde

Passeio pelo centro histórico

Após desfazer a mala, começa um fim de semana intenso. Você pode começar a manhã na rua que é provavelmente a mais icônica de toda a cidade: a Calle Larios, só para pedestres, agitadíssima e cheia de lojas, onde você poderá ter uma ideia da incrível atmosfera de Málaga. Um comentário: se você for no Natal, não perca o chamativo espetáculo de luz e som que é montado nesta rua. O passeio desemboca na bonita praça de La Constitución, uma zona perfeita para se sentar e tomar algo, se você ainda não fez isso. Você sabia que em Málaga existem nove formas diferentes de tomar um café? Por exemplo, num “sombra” vão três quartos de leite e um quarto de café.A menos de 5 minutos andando, você verá a Santa Iglesia Catedral Basílica de La Encarnación, conhecida como “La Manquita” porque quando estava sendo erigida, as obras foram paralisadas e sua torre sul ficou sem ser construída. Você poderá ver de perto estas e outras curiosidades se você se dispuser a visitar este monumento por dentro. Existe uma modalidade de visita muito peculiar, que você certamente vai gostar: subir no próprio telhado da Catedral, a quase 50 metros de altura. Garantido: a vista lá de cima é incomparável.Vale a pena continuar o passeio pela charmosa rua de San Agustín, onde também fica o Museu Picasso de Málaga, com mais de 230 obras deste artista malaguenho e universal. Muito recomendável.

Rua Marqués de Larios

Comida típica e monumentos com séculos de história

O seguinte objetivo pode ser La Alcazaba, o palácio-fortaleza que os governantes muçulmanos construíram no século XI no monte Gibralfaro. Aos seus pés você verá que também existe um Teatro Romano que esteve ativo até o século III d.C.A estas alturas, você já deve estar com o apetite aberto. Você está em um bom lugar para almoçar, já que bem ao lado há algumas tabernas muito típicas, como El Pimpi, cujos pratos tradicionais foram provados pela família Picasso, por Carmen Thyssen, por Antonio Banderas, entre outros. Outros bares míticos do centro? Antigua Casa de Guardia ou Restaurante El Chinitas. Que tal provar, por exemplo, uma “porra antequerana” (sopa fria semelhante ao salmorejo) ou um vinho doce?O típico café de depois do almoço pode ser saboreado tomando sol em alguma mesa ao ar livre da praça de La Merced. Trata-se de um lugar muito especial, pois bem aqui fica a Fundação Picasso Museu e Casa Natal. Isto é, a casa onde nasceu o gênio malaguenho e onde viveu os primeiros anos de sua vida. De fato, na mesma praça você pode tirar uma foto com a estátua deste artista. Muito perto também fica a igreja de Santiago, onde Picasso foi batizado.

Alcassaba de Málaga

Fim de tarde visto de um castelo

Você se lembra que justo antes de almoçar foi mencionado fazer uma visita a La Alcazaba? Você deve ter reparado que esse palácio se comunica com um castelo, o de Gibralfaro. De fato, existe uma entrada conjunta para os dois monumentos.Se você não estiver viajando de carro, o melhor para chegar a este castelo é ir até o bulevar do parque e pegar a linha 35 de ônibus que sobe até lá. Uma vez lá em cima, existe um centro de interpretação para conhecer a história do castelo. Mas o melhor de tudo é que neste lugar você obterá uma vista fantástica da cidade, da baía de Málaga e da praça de touros de La Malagueta. De fato, junto ao castelo e ao Parador você verá o famoso mirante de Gibralfaro. Por isso, se você puder fazer sua visita no final da tarde, muito melhor.

Imagem panorâmica de Gibralfaro, Málaga
Visitas imprescindíveis

O que ver


Segundo dia

Você está no Mediterrâneo, então não perca a oportunidade de dedicar um dia ao lado mais marítimo de Málaga.

Distância:10Km Deslocamento: A pé / Duração: 1 dia

Manhã de arte contemporânea

Antes de pôr a vista no mar, dê uma volta pela Málaga mais “rebelde” e mais moderna. Trata-se do bairro conhecido como Barrio de las Artes, o emblema da arte urbana desta cidade. Na área compreendida entre a avenida da Alameda Principal e o cais chamado Muelle Heredia, você verá não só uma infinidade de grafites, mas também o CAC Málaga – Centro de Arte Contemporânea de Málaga. Está instalado em um antigo mercado de atacadistas e expõe obras de Juan Muñoz, Tony Cragg e Sigmar Polke.  Aproveite também para tomar o café da manhã em algum dos acolhedores locais da zona.Outra opção para tomar o café da manhã é provar os tradicionais churros de Casa Aranda, perto do mercado de Atarazanas, e aproveitar para visitar este último, uma autêntica experiência.

Bairro das artes de Málaga ‘Soho’

Chegando perto do mar

A ideia agora é ir para uma das zonas mais populares de Málaga: o calçadão à beira-mar de Pedragalejo. Fica um pouco afastado da cidade, mas você pode chegar pegando qualquer ônibus das linhas 11 ou 34. Além de dar um mergulho se o tempo estiver bom, o que dá fama a esta zona são seus quiosques e restaurantes junto ao mar. É o momento de que provar os boquerones, a fritura malaguenha e principalmente os espetinhos de sardinhas, um verdadeiro clássico da culinária malaguenha. No próprio calçadão você vai ver barquinhos cheios de areia onde são feitas fogueiras para assar as sardinhas com as brasas. Leve a câmera para imortalizar este momento tão malaguenho.

Praia de Málaga

Tarde no passeio de La Farola e no Muelle 1

Voltando para a cidade, o dia pode continuar com sabor de mar se você for até a praia de La Malagueta e tirar uma foto junto às letras que dão nome a esta praia. Bem ao lado fica o Muelle 1, uma zona comercial e de lazer onde você pode aproveitar para fazer alguma compra. Aqui também fica um dos novos símbolos da cidade, um grande cubo colorido que é a sede do Centre Pompidou Málaga, com obras de Francis Bacon, Alexander Calder, Marc Chagall...Sua tarde pode continuar com uma caminhada pelo calçadão de La Farola até chegar à própria Farola, um farol construído em 1817, para contemplar as cores do fim de tarde e jantar em algum dos restaurantes da área.Outra opção é voltar pelo mesmo caminho para o Muelle 2 e passear por El Palmeral de las Sorpresas até chegar de novo ao centro histórico. Justamente nesta zona do porto você verá uma enorme roda-gigante com 70 metros de altura, um excelente mirante para contemplar a vista. Uma vez no centro, você pode tomar um drinque no terraço de algum hotel. Um bom final para um fim de semana nota 10.

Praia de La Malagueta, Málaga

Você tem mais tempo?

Embora você já tenha visto os lugares imprescindíveis da cidade, a verdade é que se você tiver mais dias e quiser fazer tudo com um pouco mais de tranquilidade, existem opções muito interessantes, como o Museu Carmen Thyssen e o Jardim Botânico-Histórico La Concepción, especialmente se você estiver viajando com a família.E se você está procurando uma época especial para conhecer a cidade, talvez lhe interesse viajar na época da Semana Santa (entre março e abril, dependendo do ano) e ver de perto suas emocionantes procissões. Se você prefere o lado mais glamouroso, vá para Málaga durante o festival de cinema.

Semana Santa de Málaga
Visitas imprescindíveis

O que ver


Descubra mais sobre...
O que fazer

Planos para inspirar-se