Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Detalhe do Park Güell, Barcelona

Barcelona, meca do modernismo de Gaudí

Barcelona

Falar de Barcelona sem mencionar alguma obra de Antoni Gaudí é quase impossível. Tanto como pensar neste gênio da arquitetura modernista sem associá-lo a alguma imagem da capital da Catalunha. O estilo inconfundível do arquiteto faz parte da identidade da cidade. Sua elegância decorativa e seus coloridos mosaicos, ou trencadís em catalão, aparecem quando você menos espera. Barcelona e Gaudí são inseparáveis.

  • Imagem panorâmica da Praça Real e dos postes de iluminação de seis braços de Gaudí, Barcelona

    Postes de iluminação, Praça Real

    A Praça Real do bairro Gótico abriga uma das primeiras encomendas que a Prefeitura de Barcelona fez a Antonio Gaudí, em 1879: o projeto de dois postes de iluminação de seis braços. Sua luz ilumina a animada vida noturna desta praça, em cujo perímetro com arcadas funcionam alguns dos locais mais disputados da cidade.

  • Palau Güell, Barcelona

    Palau Güell

    Pedra, madeira, ferro forjado, cerâmica, vidro... São os principais materiais nobres que Gaudí utilizou para consagrar a linha de seu estilo arquitetônico e decorativo neste palácio residencial (1890), declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Está localizado na rua Nou de la Rambla, no bairro do Raval, a pouco mais de 10 minutos a pé do porto de Barcelona. Nos primeiros domingos de cada mês a visita ao Palau é gratuita.

  • Casa Calvet, Barcelona

    Casa Calvet

    No início do Paseo de Gracia, virando à direita na rua Caspe, você chega até este outro edifício residencial construído com pedras do Montjuic (a icônica montanha de Barcelona) em 1899. Apesar de não ser visitável, salvo o restaurante que funciona no térreo, a fachada deixa expostos detalhes ornamentais inconfundíveis próprios de Gaudí para serem admirados do exterior.

  • Casa Batlló, Barcelona

    Casa Batlló

    Na altura do número 43 do Paseo de Gracia, o pedestre encontra uma construção de formas geométricas impossíveis. É uma das referências indiscutíveis do modernismo. Aqui Gaudí conseguiu uma integração magistral da luz e das cores com a madeira, o ferro, o vidro, a cerâmica e a pedra utilizados no edifício. A construção recria um universo onírico, de natureza e fantasia. A Casa Batlló (1906) pode ser visitada todos os dias da semana e oferece a opção de fazer visitas teatralizadas.

  • Casa Milà, Barcelona

    Casa Milà “La Pedrera”

    Este edifício residencial situado no Paseo de Gracia nº 92 deixa novamente exposta a personalidade do brilhante arquiteto espanhol. Contemplar sua fachada é como imaginar o movimento das ondas do mar, com suas algas que, construídas em ferro forjado, servem de parapeito das varandas. Da Casa Milà, conhecida também como La Pedrera, é visitável uma zona de sótãos com arcos catenários de tijolo; o terraço, com chaminés em forma de guerreiros entre as dunas do deserto; e um apartamento decorado à moda antiga.

  • Sagrada Família, Barcelona

    Basílica da Sagrada Família

    Mas se há uma obra que concede a Gaudí fama internacional, sem dúvida é a Basílica da Sagrada Família. O arquiteto transformou radicalmente o projeto neogótico inicial, levando-o para um templo de dimensões monumentais. O que você pode visitar? Duas das três fachadas construídas, as naves, a abside e o museu, imprescindível para entender a evolução do templo.

  • Casa Vicens, Barcelona

    Casa Vicens

    Esta foi a primeira casa construída por Antoni Gaudí (1885). Foi concebida como residência de verão para uma família de empresários de Barcelona. Com influências árabes, orientais e neoclássicas, o edifício esbanja cores e apresenta constantes referências à natureza.

  • Colégio Teresianas, Barcelona

    Colégio das Teresianas

    A austeridade que caracterizou a este projeto supôs um autêntico desafio para Antoni Gaudí. Os materiais de base utilizados limitaram-se ao tijolo e à pedra. O complexo religioso –convento e colégio- foi construído em 1890 e mantém hoje sua atividade docente, portanto não é visitável como monumento. O gênio modernista realizou aqui um projeto que consegue que a luz penetre do último andar até o térreo, a partir de dois grandes pátios internos e de corredores de arcos parabólicos.

  • Park Güell, Barcelona

    Park Güell

    E o melhor lugar para concluir um roteiro completo pela obra arquitetônica de Antoni Gaudí é adentrar-se no Park Güell. A imagem panorâmica de Barcelona que você pode obter de lá são indescritíveis. Trata-se do parque público mais singular da cidade e um exemplo perfeito de integração entre natureza e arquitetura.