Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Palácio e Jardins de Aranjuez

Aranjuez

Madrid

Um centro histórico declarado Conjunto Histórico-Artístico, palácios reais e jardins às margens do rio Tejo compõem o traçado de Aranjuez.

Os conceitos do Iluminismo, acomodados ao desenvolvimento urbanístico das cidades, plasmam-se aqui em um equilíbrio entre a natureza e o homem, os cursos da água e o projeto dos jardins, entre o bosque e a arquitetura palaciana. Por tudo isso, em 2001 foi declarada pela Unesco Paisagem Cultural da Humanidade. O Tren de la Fresa (trem do morango) e as Festas do Motim de Aranjuez, de Interesse Turístico Nacional, são alguns dos encontros culturais que esperam pelo visitante nesta localidade madrilenha.

A Vega de Aranjuez, situada entre os rios Tajo e Jarama, esteve povoada desde tempos remotos. O traçado atual é da época do reinado de Felipe II (séc. XVI), que concedeu a esta povoação o título de Sitio Real. Felipe V (séc. XVII-XVIII) e Carlos III (séc. XVIII) transformaram Aranjuez em um núcleo cortesão onde a arquitetura palaciana anda de mãos dadas com bosques e jardins, tudo em harmonia com o gosto estético do iluminismo. O pensamento racionalista daquele então é o motivo do traçado reticular das ruas de seu centro histórico.Uma das joias desta cidade madrilena, e origem de seu esplendor, é seu Palácio Real. A realização atual é a soma de reconstruções e acréscimos que começaram com a obra de Juan Bautista de Toledo, arquiteto de Felipe II. Com o decorrer dos anos, também intervieram outros mestres a serviço dos reis espanhóis, como Juan de Herrera (artífice do mosteiro de El Escorial) e Francisco Sabatini (arquiteto de Carlos III que realizou diversas construções em Madri). Em suas dependências interiores existem várias peças barrocas, como as que podem ser vistas nas salas de relógios, porcelanas ou pinturas (Lucas Jordán, Vicente López, Esquivel...).

Jardins de Aranjuez

Outro elemento representativo de Aranjuez são seus jardins. Em frente à fachada leste do palácio se encontra o Jardín del Parterre, de estilo inglês, onde se destacam as esculturas de suas fontes. Outros dois jardins partem deste conjunto. O de La Isla, chamado assim por se estender entre o curso do rio Tejo e a Ria, é outro lugar recomendável para passear. Com mais bosque é o Jardim do Príncipe, de estilo afrancesado e gótico. O leito do rio, fontes e praças acompanham aqui até a Casa del Labrador. Trata-se de outro palacete ao estilo dos pavilhões de Versalhes (Paris), que acolhe interessantes exposições pictóricas.O resto da vila também ostenta estes mesmos valores, como demonstra a disposição de suas ruas, no mais puro estilo barroco. Moradias uniformes, ruas arborizadas e avenidas espaçosas são algumas de suas características. Um traçado que facilita a visita a outros importantes monumentos, como a Fonte de La Mariblanca, o Teatro Real, a Casa de Ofícios e Cavaleiros ou o Mercado. Também outros palácios, como os de Osuna, Medinaceli e Godoy. Dentro da arquitetura religiosa, são belos exemplos o Convento de San Pascual (obra de Sabatini com pinturas de Megs e Tiépolo), e as igrejas de Alpajés (construção de tijolo e pórtico barroco) e San Antonio (com uma grande cúpula e colunas jônicas).A estação ferroviária de Aranjuez, com seu peculiar estilo neomudéjar, é mais um monumento da cidade. Suas vias voltam para o passado quando, entre maio e setembro, entra em funcionamento o Tren de la Fresa. Uma antiga locomotiva a vapor puxa os vagões durante seu percurso. Além disso, você também pode visitar o Real Cortijo de San Isidro, um conjunto formado por palacetes e jardins.Aranjuez, cidade cortesã durante séculos, conserva diversas construções relacionadas com o lazer. Em sua praça de touros fica o Museu “Aranjuez: una fiesta”, onde o visitante pode se aproximar ao mundo taurino e à história do lazer desta cidade. Por sua vez, as antigas Cocheras de la Reina Madre são hoje o Centro Cultural Isabel de Farnesio, espaço de exposições, conferências e shows.Um bom momento para conhecer esta cidade é durante a celebração das Festas do Motim, declaradas de Interesse Turístico Nacional. Você pode assistir a representações do assalto ao Palácio de Godoy e do Motim, encierros, corridas de touros, descida do Tajo e atuações musicais. O rio Tajo e seu Clube Escola de Canoagem, e o hipódromo de Legamarejo e outras escolas de equitação são outras possibilidades de lazer que este lugar oferece.

Culinária

As hortas que rodeiam Aranjuez proporcionam à sua culinária alcachofras, couves de Bruxelas, favas, aspargos... preparadas com inúmeras receitas. A caça, tão tradicional nestes bosques, oferece excelentes peças de faisões, perdizes e codornas. O morango é outra de suas especialidades.A província de Madri oferece diferentes roteiros para conhecer todos os seus encantos. Na capital, Madri de los Austrias y de los Borbones, os museus do Prado, Thyssen e Rainha Sofia, os bairros tradicionais de Lavapies ou Chamberí e as lojas de moda do bairro de Salamanca são alguns de seus atrativos. Outras duas joias madrilenhas e que são Patrimônio da Humanidade são a cidade de Alcalá de Henares e o Mosteiro de El Escorial. Em Alcalá é possível visitar a famosa Universidade Complutense, a Casa Natal de Miguel de Cervantes (autor de “Dom Quixote”) e diversos palácios e conventos religiosos. El Escorial, construído por ordem de Felipe II na serra de Guadarrama, é um dos maiores monumentos da Comunidade de Madri, obra de Juan de Herrera. O Castelo de Manzanares el Real e a Plaza Mayor de Chinchón são outras atrações das localidades desta região.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

Agenda

Exposições, festivais, esportes...


Consulta alguns dos eventos mais relevantes que você poderá aproveitar no destino.