Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Vista panorâmica de Cádis

Cádis

Cádiz

Fundada há cerca de 3.000 anos pelos fenícios, Cádis é a cidade mais antiga do Ocidente.

Os diferentes povos que nela se assentaram deixaram uma marca cultural, cuja influência ainda perdura no caráter dos seus habitantes. Esta península, que fica na costa atlântica andaluza, soube conservar um importante legado histórico, fruto de sua importância comercial, junto a excelentes praias e uma deliciosa cozinha regional. A Costa da Luz, que se divide entre as províncias de Huelva e Cádis, oferece, além disso, diversos destinos que conciliam cultura e lazer. E para os amantes do meio natural, nada melhor que percorrer o Parque Nacional de Doñana, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

A antiga Gades fenícia e Gadir romana vive sua época de máximo esplendor quando, no século XVII, consegue obter o monopólio do comércio de Ultramar. Esta pujança atraiu ataques de piratas, o que fez com que a cidade fosse fortificada com a construção de baluartes defensivos, castelos e torres de vigia em cada telhado. Estas são algumas das características desta cidade, onde também se destacam suas varandas de ferro forjado.A visita pode começar em Puerta Tierra, entrada para as muralhas e linha divisória entre a Cádis moderna e a antiga. A um lado, amplas avenidas, praias (La Victoria, Santa María e La Cortadura), clubes marítimos e modernas instalações esportivas. Ao outro lado, Cádis dos antigos bairros, com mais sabor e história: O Pópulo, antiga vila medieval; La Viña, bairro dos pescadores e das chirigotas por excelência; e o de Santa María, templo vivo do flamenco. Ruas com diferentes personalidades, mas que mantiveram uma unidade em suas casas e compõem um traçado de uma beleza excepcional.Na fachada atlântica ergue-se a cúpula de azulejos amarelos da Catedral, que olha na direção do Campo do Sul. De corte barroco e neoclássico, sua cripta guarda os restos do compositor Manuel de Falla. Ao seu lado ficam o antigo teatro romano e a catedral velha.O lugar que já foi praça real, praça de armas e mercado, e que se originou em um aterro, também merece uma visita. Trata-se da praça de San Juan de Dios onde, olhando ao porto próximo, se levanta a estrutura neoclássica da Prefeitura de Cádis.Diversas praças muito animadas estão disseminadas em qualquer percurso. Ao lado do porto surgem, na Praça da Espanha, o palácio da Diputación Provincial e o Monumento às Cortes Liberais. Na arborizada praça Mina podemos visitar o Museu Arqueológico e de Belas Artes de Cádis, que conta com interessantes mostras fenícias, enquanto na de San Francisco podemos visitar a igreja homônima. Em volta da praça das Flores nascem as ruas mais comerciais da cidade, e não é à toa que o Mercado Central fica aqui. Outra praça, a do Tio de la Tiza, é o eixo central do bairro de La Viña, onde o Carnaval, uma Festa de Interesse Turístico Internacional, tem sua origem chirigoteira (com letras irônicas).Cádis conta com importantes construções eclesiásticas que falam sobre o sentimento religioso dos andaluzes. Em Santa María, são importantes a igreja que dá nome ao bairro e o Convento de Santo Domingo. Perto de La Viña fica a paróquia de La Palma, enquanto no outro extremo, junto ao Baluarte da Candelária, se assenta a igreja de El Carmen.No centro de Cádis podemos visitar o Museu Histórico Municipal de Cádiz, a Torre Tavira, uma das mais emblemáticas da cidade, e o Oratório de San Felipe Neri, Monumento Nacional onde foi debatida a Constituição liberal de 1812.E para ter a melhor vista do Oceano Atlântico, nada melhor que passear pelos bulevares ajardinados da Alameda de la Apodaca, do Parque Genovês e da praia de La Caleta. Esta praia é a única do centro histórico e fica entre os castelos de Santa Catalina e de San Sebastián. Suas areias dão acesso aos Balneários de La Palma e del Real. Você pode continuar até as praias da cidade atual passando pelo Campo do Sul e parando nos baluartes de Mártires, Capuchinhos e San Roque.A antiga Gades oferece seu Parador de Turismo, o “Hotel Atlántico”. Hospedar-se em um quarto com vista para o oceano em pleno centro histórico é a antessala para degustar a deliciosa culinária de Cádis. A capital recolhe toda a riqueza da província e oferece camarões de Sanlúcar, linguados de San Fernando, vinhos de Jerez e torrone gaditano. Os embutidos de presunto cru ibérico, sempre procedentes das serras do interior.A excepcional situação geográfica de Cádis possibilita ir a praias e localidades históricas da Costa da Luz, como Puerto de Santa María, Puerto Real (cujo bairro antigo é conjunto histórico e artístico) ou Chiclana de la Frontera. No extremo mais ocidental do litoral gaditano fica Sanlúcar de Barrameda, uma cidade muito conhecida por sua manzanilla (tipo de vinho licoroso) com Denominação de Origem, e por ser uma das entradas ao Parque Nacional de Doñana, declarado Patrimônio da Humanidade.No interior fica a cidade de um dos vinhos mais famosos da Espanha (também com Denominação de Origem) e berço dos cavalos “cartujanos”: Jerez de la Frontera. Um bom ponto de partida para fazer a Rota dos Povoados Brancos. Assim você descobrirá a Serranía de Ronda, os parques naturais de Grazalema e Los Alcornocales; além de localidades com um impecável conjunto de casas brancas, como Arcos de la Frontera, Medina Sidonia e Vejer de la Frontera. Outro itinerário cultural recomendável é a Rota Bética Romana, que nos levará a povoados desta província romana sob o Império, desde Santiponce (Sevilha) até Tarifa (Cádis), um bom lugar para passear por seu centro histórico e praticar windsurf.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

Não deixe escapar

O que visitar


Selecione na lista ou navegue pelo mapa para descobrir os pontos de interesse.

O que fazer

Planos para inspirar-se