Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Ciclistas em frente à Catedral de León, em Castilla y León

Alguns dos melhores roteiros de cicloturismo na Espanha

none

Conhecer a Espanha de bicicleta: vai encarar esse desafio? Se a sua paixão é pedalar, prepare-se. Os roteiros de cicloturismo de grande percurso que existem no país são a oportunidade de viver uma aventura esportiva emocionante. Veja aqui alguns dos principais itinerários longos que você pode fazer de bicicleta, ao mesmo tempo que aprecia a riqueza das paisagens e povoados da Espanha. 

  • Cicloturista no Caminho de Santiago

    O Caminho de Santiago, uma experiência única também de bicicleta

    Os especialistas garantem que os roteiros do Caminho de Santiago são perfeitos para uma iniciação no cicloturismo. São bem sinalizados com as famosas flechas amarelas, existe uma rede de albergues e alojamentos para descansar no final de cada etapa, e contam com todos os serviços necessários ao longo do percurso. Somando a isso a possibilidade de descobrir a riqueza monumental, natural e gastronômica de diferentes regiões da Espanha, compartilhando experiências com pessoas de diferentes partes do mundo, o que mais você pode pedir? Existem muitas alternativas para escolher, embora a mais popular seja o Caminho Francês, com 750 quilômetros de pedalada saindo de Roncesvalles

  • Fotograma do vídeo O Roteiro da Via da Prata de bicicleta

    O Roteiro da Via da Prata: de Sevilha a Gijón

    Quem fez este trajeto não duvida em recomendá-lo. Este percurso histórico, baseado no traçado de uma antiga estrada romana, atravessa a Espanha de sul a norte, indo de Sevilha até Gijón. A Via da Prata tem mais de 800 quilômetros que atravessam a Andaluzia, Extremadura, Castilla y León e Astúrias, mostrando uma linda variedade de paisagens com pastagens, vales e áreas montanhosas. Além disso, passa por muitos povoados e destinos turísticos como Cáceres, Plasencia, Béjar, León e Oviedo. O roteiro ciclístico é dividido em 12 etapas, com opções para fazer tanto de mountain bike como de bicicleta para estrada. Existe também um passaporte que você pode ir carimbando nas prefeituras e escritórios de turismo, e que permite se beneficiar de descontos em hospedagens, restaurantes e estabelecimentos aderidos. No site www.larutaenbici.com você vai encontrar informações sobre os trechos, com mapas e tracks, assim como os serviços disponíveis (oficinas, acomodações, locadoras, etc.).

  • Fotograma do vídeo Viajando pela VIA VERDE OJOS NEGROS

    A Via Verde de Ojos Negros: de Teruel a Valência

    A rede de Vias Verdes é outra opção muito habitual para praticar cicloturismo na Espanha. O itinerário mais comprido, até o momento, é a Via Verde de Ojos Negros. Seus 167,5 quilômetros de trajeto começam na pequena cidade de Ojos Negros (Teruel) e terminam em Sagunto (Valência). Segue o traçado de um antigo trem minerador e se divide em dois trechos, embora o mais recomendável seja fazer em três dias para curtir o caminho sem pressa. No caminho rumo às hortas valencianas você vai atravessar o vale de Jiloca, a serra de Javalambre e o vale do Palancia, passando por túneis, pontes e viadutos, e por perto de cidades como Segorbe e Teruel, cuja arquitetura mudéjar foi declarada Patrimônio Mundial. 

  • Cicloturista no roteiro TransAndalus perto de Santa Olalla del Cala, em Huelva (Andaluzia)

    TransAndalus: a volta à Andaluzia de mountain bike

    Seus 2.000 quilômetros de trajeto circular podem ser percorridos durante quase todo o ano graças ao bom clima, e permitem admirar a extraordinária beleza natural do sul da Espanha. O traçado da TransAndalus percorre majoritariamente caminhos e vias pecuárias, passando por todas as províncias da região e visitando espaços naturais protegidos como Cabo de Gata, Sierra Nevada, Sierra de Cazorla e Doñana, entre outros. De fato, 35 por cento do caminho passa por lugares que têm algum tipo de proteção meio ambiental. Além disso, o percurso foi criado por ciclistas locais que conhecem os melhores caminhos de cada região. Ao se tratar de um roteiro circular, você pode planejar a viagem para começar onde quiser, ou fazer só o trecho que você preferir. No site www.transandalus.org você vai encontrar informação sobre as etapas, mapas e tracks para GPS. 

  • Fotograma do vídeo O Caminho de El Cid, Uma aventura inesquecível

    O Caminho de El Cid: uma viagem literária sobre duas rodas

    Literatura e esporte se combinam neste itinerário pelos lugares relacionados com El Cid Campeador, o famoso cavaleiro espanhol, que aparecem no poema medieval “Cantar del Mío Cid”.  Começa na vila de Vivar del Cid (Burgos) e chega até Orihuela (Alicante). A opção ciclística para fazer por estrada soma um total de 2.000 quilômetros, divididos em vários roteiros temáticos de entre 60 e 360 quilômetros, que se comunicam entre si. A alternativa para mountain bike são 1.485 quilômetros, repartidos em sete percursos de entre 49 e 313 quilômetros, também conectados entre si. No site www.caminodelcid.org você vai encontrar informações detalhadas de mapas, serviços e tracks. O que você vai ver enquanto pedala? Monumentos que são Patrimônio Mundial como a Catedral de Burgos, um bom número de castelos e fortalezas, pequenos povoados e cidades históricas, e espaços naturais singulares como as lagoas de Gallocanta e o Parque Natural do Alto Tajo.

  • Fotograma do vídeo A TRAVESSIA DOS PIRINEUS de bicicleta

    Transpirenaica: do mar Mediterrâneo ao Cantábrico através dos Pirineus

    A trilha Transpirenaica é um itinerário de uns 800 quilômetros que vai do Cabo de Creus (Girona) até Hondarribia (Gipuzkoa) pela vertente sul dos Pirineus, atravessando bonitos vilarejos de montanha e espetaculares paisagens. Em 1985 foi homologada como a trilha de grande percurso GR-11, e desde então seu caminho é sinalizado com as habituais marcas brancas e vermelhas. A versão ciclística costuma ter como ponto de partida a cidadezinha de Llançá, embora não exista um traçado oficial e as alternativas variem dependendo do tipo de bicicleta (de estrada ou mountain bike).  O final da primavera e o verão são as melhores épocas para fazer este caminho, que já se tornou um clássico do cicloturismo. Não obstante, trata-se de um percurso exigente e difícil, recomendado para ciclistas experientes e com um bom preparo físico.

Descubra mais sobre...